pessimistas

Os 3Ps e as diferenças entre otimistas e pessimistas…

Dando continuidade ao artigo anterior sobre otimistas versus pessimistas…(clique aqui e leia)

Existe um termo que os pesquisadores chamam de “estilo explicativo”. Quando coisas ruins acontecem, como você explica isso para si mesmo?

Segundo os especialistas, essa conversa com você mesmo tem três pontos principais:

  • Permanência
  • Presença
  • Pessoalidade/culpa

Para os pessimistas:

Coisas ruins vão sempre durar muito tempo, ou para sempre.
São universais, abrangentes (“não dá para confiar em ninguém”).
Procuram desculpas e/ou culpados.
Para um pessimista, um contratempo é desmotivador e razão para desistir.

Otimistas, não por acaso, são o exato oposto:

Coisas ruins são temporárias.
Coisas ruins têm uma causa específica e não são universais.
Não procuram desculpas nem culpados – procuram um motivo, uma razão e uma forma de melhorar.
Para um otimista, um contratempo é motivador e razão para persistir.

Interessante notar que, quando a situação se reverte e fica positiva, as reações também são opostas.

Quando uma coisa boa acontece, o pessimista acha que vai durar pouco, que é algo raro, que na verdade é prenúncio de algo pior que já vai acontecer.

Quando uma coisa boa acontece para o otimista, ele acha que vai durar, que é normal e comum e que mais coisas boas vão acontecer se ele continuar se dedicando.

Como resultado, você tem pessimistas com alta probabilidade de depressão, de desistirem, de não alcançarem metas.

E como um pessimista pode lidar com isso? Isso pode ser mudado? Pode ser ensinado? A boa notícia é que sim, podemos mudar isso. Otimistas já sabem o “truque” e o praticam naturalmente. Os pessimistas precisam desenvolver a habilidade do diálogo interior positivo (DIP).

Quando você se pegar tendo uma conversa negativa consigo mesmo, você precisa imediatamente reconhecer e reverter isso para o positivo.

Ou seja, quando você se pegar tendo pensamentos negativos com estas características:

Achando que coisas ruins vão sempre durar muito tempo, ou para sempre.
Imaginando que o “ruim” é universal, abrangente (“não dá para confiar em ninguém”, “é sempre assim, não tem jeito”, etc.).
Procurando desculpas e/ou culpados.
Você precisa imediatamente reconhecer e inverter positivamente este diálogo interno, focando no positivo:

Coisas ruins são temporárias.
Coisas ruins têm uma causa específica e não são universais.
Não procuram desculpas nem culpados – procuram um motivo, uma razão e uma forma de melhorar.
Com o passar do tempo, esse mecanismo de diálogo interno positivo passa a ser automático, e os estudos mostram que você consegue se manter otimista mesmo nas situações mais difíceis.

Então você já sabe: quer realmente alcançar a alta performance? Seja um otimista, preste atenção no seu diálogo interior e lembre-se de que contratempos são temporários, têm uma causa específica e não têm culpa/desculpa – melhor focar na lição, no que aprendemos e como melhorar da próxima vez.

Um copo bem “meio”cheio para você daqui pra frente,

Forte Abraço,

Marcos Rocha


banner-7-passos


Deixe sua Opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *